Google Street View completa 10 anos

O Google está celebrando uma década de vida de um de seus principais serviços, o Street View. O mapa online em 360º permite que os internautas visualizem imagens reais das estradas, ruas, museus, montenhas e até das profundezas de algum oceano.

Para celebrar a ocasião, o Google fez questão de relembrar que tudo começou como uma ideia de Larry Page de criar um mapa 360º do mundo inteiro. Em 2004, uma equipe de funcionários da empresa lançou o primeiro protótipo ao acoplar câmeras em uma van. Mas foi somente em 2007 que a primeira imagem foi publicada.

Atualmente o Google Street View está presente em 83 países de todos os continentes e os carros utilizados para a captação das imagens já viajaram mais de 16 milhões de quilômetros. Mais recentemente, a companhia utilizou motocicletas para fazer o registro de favelas do Rio de Janeiro.

Mas como nem todos os locais podem ser acessados pelos carros e motos, o Google precisou inovar e criou o Trekker, uma espécie de mochila que é utilizada por uma pessoa durante as caminhadas em lugares de difícil acesso para veículos. A tecnologia possibilitou registros dos canais de Veneza, na Itália, das ruínas do Grand Canyon, nos Estados Unidos, e até mesmo de um vulcão ativo.

Reprodução

Além de poder visitar pontos famosos no exterior, o Google Street View também permite a visualização de imagens das Cataratas do Iguaçu, da Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro e até das praias do arquipélago de Fernando de Noronha.

https://goo.gl/iyPRd9

Google aposenta robô jogador que foi considerado um ‘deus’ por adversários

O Google cansou de humilhar os humanos com seu robô especialista em Go e resolveu aposentar o sistema — pelo menos no que tange ao jogo.

No sábado, 27, a companhia avisou que vai tirar o AlphaGo dos embates para que os pesquisadores responsáveis pela máquina possam se concentrar em problemas mais sérios.

“A equipe de pesquisadores por trás do AlphaGo agora vai jogar sua energia em uma série de grandes desafios, desenvolvendo algoritmos avançados que podem um dia ajudar cientistas enquanto abatem alguns dos nossos problemas mais complexos, como encontrar novas curas para doenças, reduzir dramaticamente o consumo de energia ou inventar novos materiais revolucionários”, explica a empresa em seu blog.

A jornada de Go foi importante porque o jogo é de uma complexidade enorme, e treinar uma máquina para que ela se tornasse melhor que os humanos serviu para testar os limites da tecnologia que está nas mãos do Google.
Os próprios jogadores vêm se mostrando empolgados com a criação do Google, mesmo tendo sido ultrapassados por ela. O chinês Ke Jie, número um em Go no mundo — e que foi derrotado há poucos dias pelo sistema —, disse que o AlphaGo se tornou um “deus”, e colegas seus como Shi Ye e Gu Li fizeram declarações entusiasmadas sobre a tecnologia ao comentarem partidas jogadas pelo robô contra si próprio. “Não é como nada que eu já tenha visto antes”, disse Yue. “São como eu imagino que os jogos de um futuro distante serão.”

Microsoft anuncia Surface Pro e promete mais de 13 horas de bateria

A Microsoft anunciou hoje seu novo notebook top de linha, o Surface Pro (sucessor do Surface Pro 4). O dispositivo vem com processadores de sétima geração da Intel e outras configurações de ponta, e promete 13 horas e meia de autonomia de bateria – um aumento de 50% com relação aos modelos anteriores.

De acordo com o diretor da linha Surface da Microsoft, Panos Panay, o notebook tem mais de 800 novas partes customizadas. Em entrevista concedida ao The Verge, ele comentou que a melhoria na autonomia da bateria foi resultado de mudanças no design e na arquitetura do dispositivo que permitiram uma melhor integração com o Windows 10. O vídeo de anúncio do notebook pode ser visto abaixo:

Em termos de aparência, o Surface Pro é relativamente parecido com seu antecessor. No entanto, ele tem algumas mudanças que o tornarão especialmente atrativo para pessoas que trabalham com design e projetos visuais. O computador possui uma nova dobradiça ligando a tela ao teclado, o que permite que a tela fique a um ângulo de até 165 graus. O intuito disso é permitir o mesmo nível de imersão no trabalho que o Surface Studio, que também tem uma dobradiça semelhante.

A tela do aparelho tem 12,3 polegadas e uma resolução de 2.736 por 1.824 num estranho aspecto de 3:2 e com uma densidade de 267 pixels por polegada. O novo notebook também é compatível com o Surface Dial, o dispositivo de interface tátil que a Microsoft apresentou junto com o Surface Studio. E ele ainda tem compatibilidade com uma nova versão da Surface Pen, lançada junto com o Surface Pro.

A Surface Pen permite que o usuário desenhe sobre a tela e é capaz de diferenciar entre 4.096 níveis de pressão, além de ter um detector de angulação. Assim, o usuário pode desenhar com mais ou menos força ou inclinação que a caneta capta sua intenção e a traduz em determinados efeitos visuais. De acordo com a Microsoft, ela tem apenas 21 milissegundos de latência – o que, como ressalta o Engadget, torna-a duas vezes mais rápida que a Apple Pen. Um vídeo apresentando a nova caneta pode ser visto abaixo:

Debaixo do capô

Há também novidades na própria arquitetura de hardware do Surface Pro que justificam a mudança de nome da marca, com a perda do número no final. O novo SSD do dispositivo é integrado à sua placa-mãe, o que, segundo a Microsoft, faz com que todo o sistema tenha um desempenho mais rápido. De acordo com o The Next Web, 99% do espaço interno do notebook são ocupados por componentes.

Com processador Intel Core m3 e Core i5, o Surface Pro não tem ventilador, o que faz com que ele seja silencioso. A versão com o Core i7, no entanto, exige o ventilador para se manter resfriada, mas a empresa ressalta que ele não supera 18 dB de ruído.

Mesmo assim, a empresa garante que o computador oferece uma performance até 1,7 vez melhor que a do iPad Pro. Mas, assim como o iPad Pro, o Surface Pro não tem entrada USB-C. Ele contará apenas com portas USB 3.0, Surface Conect e mini DisplayPort. O notebook também tem leitor para cartões microSD e saída para fones de ouvido.

Além do processador, as outras mudanças entre as versões disponíveis do Surface Pro estão no armazenamento e na RAM. O modelo com Core m3 vem com 4 GB de RAM e SSD de 128 GB; os modelos com Core i7 podem ter de 8 GB a 16 GB de RAM, e SSD de 256 GB a 1 TB. Naturalmente, os preços mudam bastante também: eles vão de US$ 800 (R$ 2.611) para o modelo mais barato até US$ 2.700 (R$ 8.813) pelo mais caro. Ainda não há como saber se eles chegarão ao Brasil.

https://goo.gl/pgSXoy

Gerenciando projetos com simplicidade e eficiência

Parte 1: Comunicação

Olá, hoje vamos abordar um problema que tenho vivenciado durante 15 anos na direção da minha empresa de tecnologia: gerenciamento de projetos e seus desafios.

Estima-se que 78% das organizações tem problemas de prazos e 61% de custos. Boa parte desse percentual vem de problemas no planejamento e na execução de projetos.

O planejamento é fundamental para o sucesso de um projeto, porém o rigor na condução do mesmo, o comprometimento da equipe são vitais para atingir os objetivos propostos com qualidade e com o mínimo de variação de custos e prazos.

Me aprofundando no assunto, para minha surpresa, os mesmos problemas que vivemos na gestão de projetos é realidade em grande parte das empresas. Ao mesmo tempo que soou como: Que alívio, não somos os únicos no planeta, me despertou a estudar mais sobre o assunto com a finalidade de vencer esse desafio. Falando em desafio, vamos falar um pouco sobre a importância da comunicação.

A comunicação é um fator muito importante em tudo na nossa vida, inclusive em gerência de projetos. O item comunicação está em terceiro lugar entre as 18 causas de problemas nos projetos, logo devemos estar atentos a essa quest.

Invista na comunicação no início e principalmente durante o projeto. É importante no primeiro momento buscar ferramentas que irão auxiliar o escopo do projeto e em seguida implantar métodos que irão otimizar e melhorar a comunicação durante o desenvolvimento do projeto. A eficiência de um plano de comunicação é notória no transcorrer do projeto. A equipe trabalha sintonizada e na direção correta.

Um bom plano de comunicação reduzirá significativamente os problemas nos projetos. Crie uma planilha simples e de elevada importância. Utilize um esquema de perguntas e respostas: 5W1H: What, When, Where, Why, Who e How. (O que, quando, onde, porque, quem e como) e com certeza será um grande passo essa iniciativa.

Manter uma comunicação aberta com seu cliente e sua equipe por meio de um plano de comunicação eficiente vai reduzir muitos problemas na gestão de seus projetos. Invista nisso, vale a pena “perder” algumas horas de trabalho aperfeiçoando a comunicação e ganhar muito tempo e dinheiro. Crie uma planilha simples de controle e interaja frequentemente com seu cliente e sua equipe e veja os resultados.

Um abraço e até a próxima.

Anderson Rodrigues – Diretor da A2TEK

www.a2tek.com.br

contato@a2tek.com.br

Concorrente da Intel produzirá chips que podem ser implantados no cérebro

A fabricante de processadores ARM anunciou nesta semana uma parceria com o Centro de Engenharia Neural Sensorimotora da Universidade de Washington para produzir processadores que podem ser implantados no cérebro humano. O objetivo da empresa é criar um sistema que possa auxiliar pessoas vítimas de paralisia ou de doenças degenerativas do sistema nervoso.

O chip resultante da parceria será uma interface bidirecional cérebro-computador (BBCI, na sigla em inglês). Isso significa que ele conseguirá traduzir as informações enviadas do cérebro para outras partes do sistema nervoso e, no futuro, traduzir as informações que o sistema nervoso recebe para o cérebro. Na prática, isso significa que ele poderá ajudar pessoas com paralisia muscular a se mover novamente, e até a recuperar a sensação nos membros paralisados.

Primeiro fazer, depois sentir

Recuperar os movimentos é o primeiro passo. Os pesquisadores pretendem fazer isso pareando o chip a atuadores implantados na espinha dorsal dos pacientes. O chip captará os estímulos que o cérebro envia para movimentar determinado músculo e os traduzirá para o atuador, que então realizará o movimento. Pessoas que sofreram danos à coluna vertebral e perderam os movimentos, ou usuários de próteses mecânicas, poderiam se beneficiar imensamente dessa invenção.

Em seguida, os pesquisadores pretendem fazer o caminho inverso: permitir que os impulsos recebidos pelo corpo do usuário (ou por próteses) sejam traduzidos de volta para o cérebro. Como a BBC aponta, isso permitiria resolver um dos principais problemas das próteses, que é a falta de resposta sensorial. Com essa solução, os usuários das próteses poderiam sentir se a xícara de café que estão segurando está quente, ou se estão apertando com força demais a mão da pessoa que está com eles, por exemplo.

Mas não é só isso: algumas pesquisas sugerem que esse tipo de resposta sensorial pode, no longo prazo, ajudar o sistema nervoso a se regenerar, devolvendo os movimentos e a sensação ao paciente. Isso permitiria que o processador também fosse benéfico para pessoas que perderam os movimentos em decorrência de uma doença degenerativa, como Síndrome de Parkinson, ou de um derrame.

Hardware para humanos

Fabricar um chip que possa ser implantado no cérebro, no entanto, apresenta uma série de desafios. O diretor de tecnologias para a saúde da ARM, Peter Ferguson, disse à BBC que “o problema é o consumo de energia e o calor que ele gera”. “[O chip] precisa ser algo ultra-pequeno e ultra-econômico.” Isso porque, por estar implantado, ele será praticamente impossível de se recarregar. E o calor emitido pelo chip acabará afetando também o cérebro do usuário.

Por isso, a ARM criará o chip com base em seu processador Cortex M0 – o menor dentre os chips que eles produzem. Já existem alguns protótipos em teste, de acordo com Ferguson, mas o produto final ainda está muito longe de ser atingido. A ARM espera que o ponto em que os processadores serão capazes de traduzir de volta ao paciente as informações sensoriais recebidas por seu sistema nervoso chegue em cerca de dez anos.

https://goo.gl/M4QPYF

Google será capaz de remover qualquer elemento indesejado de fotos

A Google anunciou nesta quarta-feira, 17, durante a sua conferência de desenvolvedores, que, em breve, será capaz de remover qualquer objeto indesejado de fotos automaticamente. E não estamos falando somente de elementos menores.

Durante a demonstração, a tecnologia de inteligência artificial para fotos conseguiu retirar uma cerca em primeiro plano da imagem e preencher com o que estava em volta.

Os mais habilidosos em Photoshop e outros programas de edição são capazes de fazer algo parecido e alguns aplicativos até já oferecem funções parecidas. No entanto, recursos de preenchimento inteligente não estão disponíveis em aplicativos destinados aos consumidores de smartphones e que não estão interessados em um programa profissional de edição.

A empresa não informou quando pretende lançar a tecnologia e nem em qual de seus serviços – o aplicativo mais provável a receber a novidade é o Google Fotos.

https://goo.gl/20agtB