Brasil lança projeto para implementar o 5G no país

Nem um quarto dos municípios brasileiros conta com internet 4G, mas o setor de telecomunicações do país já começou a trabalhar pela implantação do 5G.

No último dia 15, vários representantes da área se reuniram para lançar o Projeto 5G Brasil, cujo objetivo é fomentar o desenvolvimento de um ecossistema propício para a quinta geração da internet móvel e a participação do país em discussões internacionais sobre o tema.

Estão nessa empreitada representantes da indústria e das prestadoras de serviços de telecomunicações, do governo federal, da Anatel, da academia e de centros de desenvolvimento tecnológico.

“A iniciativa complementa as ações em curso pelo governo federal para o fomento ao desenvolvimento da tecnologia 5G, dentre elas o financiamento a projetos de pesquisa e desenvolvimento, a participação em fóruns de padronização e a cooperação internacional, trazendo a importante interlocução do setor privado por meio das entidades representadas pela associação”, disse na ocasião o ministro Gilberto Kassab, que comanda a pasta de Ciência e Tecnologia, Inovação e Comunicações.

“Agora, estamos tendo a oportunidade de o setor trabalhar junto com a academia, com os fabricantes. Temos um trabalho de antecipação à entrada do 5G no Brasil”, completou o secretário de Política de Informática do ministério, Maximiliano Martinhão. “O 5G impulsiona a Internet das Coisas, vai impulsionar a tecnologia dos smartphones, a conectividade dos automóveis. Enfim, vai surgir um monte de coisas bacanas.”

Os brasileiros só poderão conferir resultados desse trabalho daqui a anos, porque a própria Anatel já avisou que os leilões das licitações que permitirão explorar a tecnologia no Brasil devem ocorrer apenas depois de 2020.

Até lá, o setor tem demandas mais urgentes para tratar. O 3G, que é a geração passada da internet móvel, ainda não está presente em mais de 11% dos municípios brasileiros, enquanto o 4G se faz ausente em quase 80% das nossas cidades.

https://goo.gl/UVDftD

50% do tráfego da web ainda é inseguro, diz pesquisa

A criptografia tem se popularizado na web nos últimos meses. Mas de acordo com um estudo divulgado pela Electronic Frontier Foundation nesta quinta-feira, 23, metade do tráfego da web ainda é inseguro.

O HTTPS criptografa os dados em trânsito e impede que um site seja modificado por pessoas mal intencionadas. Para o usuário, isso significa mais segurança ao navegar na web.

O estudo mostra que a adoção do protocolo HTTPS contou com a ajuda de grandes empresas como o Facebook e o Google, que pressionou páginas para que elas optassem pela segurança e passou a mostrar sites HTTP como inseguros, além de priorizar em seus resultados de busca aqueles que já mudaram. A Apple também passou a exigir que os sites no iOS usem o protocolo seguro, embora tenha estendido o prazo para a troca.

Quem quiser realizar a troca em sua página pode usar a ferramenta do EFF, chamada Certbot. Ela garante a ajuda a sites menores.

https://goo.gl/2G0zY5

Empresa russa mostra motocicleta voadora

A empresa russa Hoversurf divulgou recentemente um “trailer” da Scorpion-3, uma espécie de moto voadora. A Scorpion-3 possui quatro hélices em volta do assento do piloto que fazem com que ela voe de maneira semelhante a um drone. No entanto, ela pode ser controlada tanto remotamente quanto por um piloto que esteja montado nela.

Segundo a empresa, o veículo foi desenhado para se assemelhar a uma moto “off-road”, mas possui sistemas de controle de estabilidade para auxiliar na segurança do piloto. Embora ela pareça, de fato, algo voltado para esportes radicais, a empresa considera que “seu potencial como meio de transporte é evidente”. O vídeo abaixo mostra a Scorpion-3 em ação:

 

De acordo com o DesignBoom, a moto voadora é capaz de voar a até dez metros de altura e carregar até 120 quilos de peso. Ela é movida por motores elétricos e usa algoritmos especiais para controlar sua orientação e velocidade mesmo sob condições extremas de vento. O piloto comanda a aeronave com dois joysticks localizados aproximadamente nos locais onde as mãos de um motociclista ficariam.

No entanto, apesar do trailer, a empresa não deu nenhuma indicação de quando a Scorpion-3 deve ser lançada. É provável que ela ainda tenha uma série de entraves técnicos e regulatórios a superar antes de chegar ao mercado, o que ainda deve levar pelo menos um ano. Quem quiser ter um veículo voador antes disso pode tentar a sorte com o primeiro carro voador comercial do mundo, que entrou em pré-venda recentemente.

https://goo.gl/GBZUlx

Como configurar o WhatsApp para economizar a internet do celular

O WhatsApp costuma ser um dos grandes inimigos dos pacotes de internet móvel. Principalmente com o envio e o recebimento de fotos, GIFs e vídeos e com o uso das chamadas de áudio e vídeo do app. Abaixo, você aprende como economizar a internet móvel do seu celular usando o WhatsApp.

O tutorial explica como desativar o download automático de mídias no mensageiro e também como reduzir o uso de dados móveis durante as chamadas de voz realizadas no aplicativo. Antes de continuar, saiba que essas medidas podem comprometer a experiência de uso, mas vão economizar sua franquia.

1. No canto superior direito da tela, clique no ícone de três pontos e vá até “Configurações”;

2. Acesse “Uso de dados”;

3. Altere “Quando utilizar a rede de dados” e opte pela opção “Nenhuma mídia”. Em seguida, marque a caixa de seleção em “Reduzir uso de dados”.

Reprodução

https://goo.gl/BzocrQ

Chrome OS ganha suporte a leitura de impressões digitais

Na última atualização que recebeu, o Chrome OS recebeu o suporte à biometria, o que significa que será possível desbloquear o Chromebook usando impressões digitais.

O recurso pode ser ativado em chrome: // flags e a configuração pode ser feita na seção de bloqueio da tela. Podem ser adicionadas até cinco impressões digitais.

Reprodução

Por enquanto, não há Chromebooks com leitores de impressões digitais, mas espera-se que seja lançado pelo menos um modelo com a tecnologia neste ano.

https://goo.gl/t9rGzv

Primeiro carro voador comercial começa a ser vendido

O futuro da família Jetsons finalmente começa a se desenhar à nossa frente. Nesta semana, a empresa holandesa Pal-V abriu o processo de pré-venda do primeiro carro voador comercial do mundo.

Dois modelos estarão disponíveis, o Liberty Pioneer e o Liberty Sport. Ambos foram desenvolvidos com tecnologias já existentes e pensados para se encaixar nas legislações vigentes, motivos pelos quais a companhia será capaz de colocá-los no mercado tão rapidamente.

“No final de 2017, vamos começar a montar uma série de pré-produção, seguida pela fabricação dos primeiros Liberty para nossos clientes ‘pioneiros'”, conta o CEO da marca, Robert Dingemanse, em nota (pdf). “As entregas dos modelos certificados para estrada e ar estão programadas para o final de 2018.”

Não é qualquer um que pode adquirir um desses carros, porém. Em primeiro lugar, o interessado tem que ser rico, já que é preciso dar uma entrada (não reembolsável) de US$ 25 mil, o equivalente a R$ 77,1 mil.

O modelo “mais barato” é o Liberty Sport, que a empresa espera vender por US$ 400 mil (R$ 1,2 milhão). Só que ele só estará disponível após a primeira etapa de venda, que será encabeçada pelo Liberty Pioneer Edition, um modelo que sairá por US$ 600 mil (R$ 1,8 milhão) — a empresa quer colocar 90 unidades deste no mercado antes de abrir a distribuição do Liberty Sport.

Além disso, o comprador precisa de licença para voar, e é melhor obtê-la antes de efetuar a reserva, já que, assim como ocorre em autoescolas, o candidato pode reprovar — e ficar sem os R$ 77,1 mil do depósito. “Para ser capaz de operar um avião você precisará de algum conhecimento básico de navegação, instrumentos, meteorologia, aerodinâmica e performance”, explica a PAL-V.

5 fatos sobre os ousados táxis voadores autônomos

ehang-drone-autonomo-taxi-dubai

A cidade de Dubai, nos Emirados Árabes, anunciou que o primeiro serviço de táxis aéreos autônomos começará a funcionar por lá neste ano.

O drone, chamado EHang 184, promete ser o futuro dos transportes individuais em grandes centros urbanos. Confira a seguir 5 fatos sobre o veículo.

Como ele voa

O EHang 184 tem quatro hélices e terá propulsão totalmente elétrica. Cada nova carga leva cerca de duas horas para se completada e, então, ele pode alçar voo novamente. Aliás, ele é pequeno, com seu 1,5 metro, e a altitude máxima que atinge é de 300 metros.

ehang-drone

Automonia

O EHang 184 pode transportar somente uma pessoa por viagem. Ele poderá voar durante 30 minutos ou até atingir a distância máxima, que são 50 kms.

drone-ehang

Velocidade

Os drones autônomos não serão tão velozes quanto os aviões comerciais atuais. Como voam bem mais baixo do que eles, a velocidade média será de 100 km/h. No entanto, eles podem chegar a 160 km/h, se necessário.

ehang-quadricoptero

Segurança

O drone é monitorado a partir de uma central em terra firme. Uma conexão 4G no veículo mantém contato com a base o tempo todo. Essa comunicação, segundo a empresa responsável, será criptografada para evitar o roubo de dados por hackers mal-intencionados.

O drone tem sensores para evitar batidas em obstáculos, como prédios, árvores e muros. Em caso de emergências, como colisões ou qualquer tipo de incidente que ponha a viagem em risco, o EHang 184 vai encontrar um ponto seguro para pousar.

drone-ehang-cabine

O passageiro deve ter até 100 kgs e pode carregar uma pequena mala dentro do drone.

Vale notar que EHang 184 já foi testado na cidade de Dubai antes do anúncio do lançamento do serviço de táxi aéreo.

Preço

Os preços das viagens ainda não foram definidos. O drone, em si, é bem caro: entre 200 mil e 300 mil dólares.

O plano de Dubai é que 25% dos deslocamentos na cidade sejam totalmente autônomos até o ano de 2030.

Veja o vídeo de divulgação do EHang 184 a seguir.

https://goo.gl/O4D1PF

Opera anuncia reformulação total do seu navegador

A Opera anunciou ontem que trabalha em uma grande reformulação do seu navegador para desktops — e até já liberou a primeira versão de testes da novidade.

O projeto de redesenho é chamado de “Reborn” (“renascido”, em português) e tem foco na aparência. Tanto que um dos destaques é o fato de que o Opera passará a ser o mesmo em todas as plataformas, proporcionando uma experiência igualitária entre todos os seus usuários.

“As abas estão simplificadas, mais leves e elegantes, o que torna mais fácil localizar abas abertas”, conta a empresa. A barra lateral também foi mexida, ficando “mais sutil e refinada, com um toque de animação”.

Essa barra, aliás, ganhou destaque, porque passará a vir ativada por padrão, funcionando de forma parecida com aquela que existe no Opera Neon, navegador experimental lançado recentemente pela marca. É possível usar a barra para incluir atalhos e até extensões. A primeira disponível é uma que deixa o Facebook Messenger visível o tempo todo; basta clicar no ícone e todas as suas conversas aparecerão.

Outro toque estético é que o Opera virá em dois padrões de cor: um claro e um escuro. “Também desenvolvemos três novos planos de fundo que complementam perfeitamente a nova aparência do Opera”, informa a empresa. Tudo isso pode ser configurado pela área de temas do navegador.

Por enquanto, apenas a versão para desenvolvedores está disponível, o que significa que esse novo Opera ainda não é estável. Se quiser testá-lo, clique aqui.

https://goo.gl/6InHtN

Cientistas da IBM criam molécula que pode ser usada em computação quântica

Pesquisadores da IBM revelaram nesta semana que conseguiram sintetizar uma molécula que antes se imaginava “impossível”. Chamada de “Triangulene”, a descoberta foi sugerido pela primeira vez há quase 70 anos e pode vir a ser de grande utilidade em computadores quânticos.

A molécula é composta por seis hexágonos unidos pelas bordas para formar um triângulo – uma geometria incomum que acaba deixando dois elétrons não pareados. Normalmente, esses elétrons não seriam capazes de formar um elo estável, mas, no método usado pelos pesquisadores, isso foi possível.

Teorizada pela primeira vez em 1950 pelo cientista tcheco Erich Clar, essa molécula foi objeto de estudo de centenas de pesquisadores que tentaram durante anos sintetizá-la usando métodos tradicionais. O problema é que essa instabilidade fazia com que a molécula oxidasse muito rapidamente.

O método criado pelos cientistas da IBM nesse caso, porém, usa uma ponta de agulha microscópica para manipular individualmente os átomos que compõem a molécula. O método tradicional envolve colocar moléculas juntas para que elas possam reagir espontaneamente e assim construir estruturas mais complexas.

As possíveis aplicações do Triangulene ainda estão sendo estudadas, mas uma delas já gera expectativa: computação quântica. A sonhada tecnologia que pode, um dia, dar vida a computadores milhares de vezes mais rápidos do que os que temos hoje pode se beneficiar, e muito, das propriedades da nova molécula.

Uma delas é sua propriedade magnética. Segundo os cientistas, os dois elétrons não pareados têm rotação alinhada, o que lhes permite ter orientação magnética suficiente para lidar com os bits quânticos, ou qubits. Por enquanto, porém, tudo ainda está no ramo da teoria e longe de chegar à prática. Mas, para os pesquisadores por trás da descoberta, foi um importante primeiro passo.

https://goo.gl/6NRfcE

WhatsApp deve ganhar recursos do Snapchat e Instagram Stories

WhatsApp em smartphone da Samsung e iPhone

Em suas futuras atualizações, o WhatsApp deve ganhar novidades que ampliam o uso do aplicativo de mensagens. De acordo com o @WABetainfo, que analisa versões de testes do WhatsApp, os usuários poderão publicar vídeos, textos e fotos que ficam no ar por 24 horas.

Esses recursos são parecidos com os disponíveis no Snapchat e no Instagram Stories.

Os vídeos, com duração de até 45 segundos, e demais conteúdos poderão ser acessados quando clicamos no status de um contato. Será possível selecionar quem poderá ver as suas atualizações e também receber comentários sobre elas.

No passado, as atualizações de status já foram algo importante para o WhatsApp. Como conta Randall Lane no livro “Pense como os novos bilionários” (HSM), Jan Koum, cofundador da empresa, considerou que seria uma boa ideia enviar alertas sobre os status dos usuários, uma vez que as notificações tinham acabado de chegar aos iPhones, em 2009.

A partir dessa iniciativa, o app evoluiu gradualmente para o mensageiros que usamos hoje e o status ficou em segundo plano – ao menos, até que essa nova atualização chegue a todos.

https://goo.gl/Hxgt3i