YouTube ganha recurso de doação direto dos vídeos

O Google anunciou nesta semana um recurso que permite que os usuários do YouTube criem um ‘cartão de doação’ aos seus vídeos para arrecadarem dinheiro para alguma causa sem fins lucrativos.

Reprodução

O recurso aparece quando alguém clica no botão de informação de algum vídeo e partir dele os usuários podem realizar as doações diretamente de maneira simples. Basta selecionar o valor e fazer o pagamento através de um cartão de crédito.

Usuários de vários países podem fazer as doações e as entidades recebem 100% do valor doado, uma vez que o Google cobre os gastos com processamento. Até agora cerca de 1,8 milhões de ONGs estão disponíveis para receber doações.

Apesar de algumas instituições já contarem com o sérvio em seus vídeos, a partir desta semana qualquer usuário pode escolher alguma causa para vincular ao seu conteúdo que for postado. De acordo com o The Next Web, um próximo passo para o YouTube será permitir a inclusão de ONGs de fora dos EUA no recurso.

http://goo.gl/fVjxf9

Como saber quantos dispositivos estão conectados à sua rede WiFi

Sem Título-1

Por via das dúvidas, é sempre prudente verificar se a sua rede de internet sem fio não está sendo compartilhada indevidamente. Ou mesmo ter certeza de quantos e quais dispositivos têm acesso ao seu Wi-Fi, caso a conexão esteja mais lenta do que o normal, por exemplo.

Para descobrir quantos computadores, smartphones, tablets ou videogames estão ligados ao seu Wi-Fi, a tarefa é bastante simples. Antes de qualquer coisa, você precisa ter em mãos o endereço de IP do seu modem ou roteador de internet – isto é, o dispositivo que de fato está emitindo o sinal sem fio pela sua casa.

Sendo assim, se você estiver usando um computador com sistema Windows, aperte os botões no seu teclado Windows+R. Isso abrirá a janela “Executar”, a partir da qual você vai acessar o Prompt de Comando do PC. Digite as letras “cmd” na barra e clique em “OK”.

Reprodução

A tela que se abre mostra um fundo preto e alguns dígitos brancos. Esse, caso você não conhecia, é o Prompt de Comando do computador. Ao final da linha “C:\Users\” há o nome do usuário do sistema e um sinal “>”. Digite agora as letras “ipconfig” e pressione Enter no seu teclado.

Desça pela página até encontrar informações sobre o “Gateway Padrão” da rede Wi-Fi à qual sua máquina está conectada. O número que aparece no fim da linha é o endereço de IP do seu roteador ou modem, e portanto você deve anotá-lo ou copiá-lo para um editor de textos como o bloco de notas.
Reprodução

Esse endereço, composto por 8 números, deve ser digitado ou colado na barra de endereços do seu navegador, seja o Mozilla Firefox, Google Chrome, Internet Explorer ou qualquer outro. Ao pressionar Enter, você será levado para a página de configuração do seu distribuidor de Wi-Fi, que deverá pedir-lhe um nome de usuário e senha.

A senha de usuário e senha é definida pelo dono do computador. Mas se, por acaso, você é o dono e não se lembra de ter definido um login, pode tentar usar o padrão fornecido pelo Windows: “admin” para ambos os campos, usuário e senha. Recomendamos, porém, que você defina credenciais de segurança personalizadas assim que possível.

A tela que se abre, portanto, é a página de configuração do roteador ou modem. Por ela você pode redefinir a senha do Wi-Fi, reiniciá-lo e até ter acesso a alguns dados mais sensíveis. É nessa página que você encontra a lista de dispositivos conectados à rede, mas o local específico dessa opção pode mudar de acordo com o provedor de internet ou o fabricante do roteador.

Se este for a DS-Link, por exemplo, é possível encontrar a lista na guia “Wireless”, dentro da seção “Station info”. No caso de outras fabricantes, você pode procurar pelas opções “My Network”, “Device list”, “Attached Device” ou algo do gênero – normalmente, em inglês.

Verificando endereços

A lista de aparelhos ligados ao Wi-Fi geralmente contém o número de IP ou MAC de cada um. Para saber se os endereços que aparecem nessa página coincidem com os seus dispositivos, é preciso verificar cada um manualmente. No caso do PC, basta abrir o Prompt de Comando novamente, digitar “getmac” e pressionar Enter. Nos resultados que surgirem, logo abaixo de “Endereço Físico”, aparece a identificação MAC do seu computador.
Reprodução

Se quiser descobrir o registro de um celular ou tablet Android, o caminho é um pouco mais complicado. O Google desenvolveu o sistema com um IP dinâmico e, por isso, o número é gerenciado pelo próprio Wi-Fi. Para encontrá-lo, abra a tela de configurações da rede de internet sem fio do seu dispositivo, procure pela guia “Avançado” e, no fim da página, você encontrará o endereço de IP e MAC.

Reprodução

No iOS do seu iPad ou iPhone, basta abrir o aplicativo de Ajustes, seguir até a guia “Geral” e depois tocar na opção “Sobre”. Uma lista de dados será exibida, incluindo um número referente ao Wi-Fi. Esse é o MAC do aparelho. Já no Windows Phone, basta abrir o app de Configurações, tocar em “Sobre”, seguir por “Mais Informações” e lá está a identificação do dispositivo.

Agora você pode comparar os números obtidos com aquela lista de máquinas ligadas ao Wi-Fi e descobrir se algum deles não deveria estar ali.

http://goo.gl/kxtJNz

AMD lança iniciativa para melhorar desempenho de placas de vídeo

Sem Título-4

A AMD, fabricante de processadores e placas de vídeo de alta performance, anunciou hoje o lançamento da iniciativa GPUOpen. A ideia da empresa é permitir que desenvolvedores e programadores de gráficos possam acessar mais recursos de suas placas de vídeo, melhorando a performance de games e programas.

O principal objetivo do GPUOpen é dar a esses profissionais a documentação e os códigos open-source que lhes permitam programar jogos de maneira a aproveitar melhor os recursos que as placas de vídeo oferecem. Essa atitude deve permitir que jogos e programas que utilizem as placas de vídeo para realizar tarefas rodem melhor em equipamentos mais simples.

Desafios para programadores

De acordo com a empresa, a ausência de códigos abertos e de documentação específica é um dos maiores desafios para programadores. Por exemplo: jogos feitos para consoles utilizam recursos das placas de vídeo dos consoles que muitas vezes não são acessíveis nas GPUs de computadores por esses motivos.

Com isso, os programadores precisam implementar caminhos diferentes (e menos eficientes) na hora de trazer esses jogos para PC. Em computadores pessoais, os jogos precisam ser compatíveis com resoluções muito diferentes e recursos como múltiplos monitores.

A GPUOpen da AMD se baseia em três princípios: o primeiro é o de expor todos os recursos de suas placas por meio de documentação adequada. O segundo é um compromisso com softwares de código aberto, e o terceiro é um envolvimento e diálogo com a comunidade de desenvolvedores usando plataformas como o GitHub.

http://goo.gl/iS7xos

Oracle anuncia o fim do plugin do Java

Sem Título-3

Nessa quarta-feira, 27, a Oracle divulgou um curto comunicado que deixou o mercado de tecnologia pessoa empolgado: a esperada morte do plugin do Java. A empresa explicou que, como muitas marcas de navegador anunciaram que acabarão com a possibilidade de se instalar plugins nos seus produtos, não faz sentido manter o do Java.

Assim, no JDK 9 – o kit de desenvolvimento Java -, este que é um dos plugins mais criticados por especialistas em segurança virá desativado como preparação para sua desativação completa, que, segundo a Oracle, ocorrerá em alguma atualização futura.

É fácil entender por que a plataforma ficou tão indesejada, basta uma busca no Olhar Digital para encontrar inúmeros casos em que falhas no plugin provocaram ciberataques. A Oracle até tomou uma bronca públicanos Estados Unidos por tentar fazer com que o Java parecesse mais seguro do que realmente é.

 

http://goo.gl/qlxHzn

Uso das redes sociais pode interferir no sono, diz pesquisa

Sem Título-1Um estudo realizado pela Universidade de Pittsburgh mostra que o uso excessivo de redes sociais durante o dia pode interferir no sono do usuário. A pesquisa entrevistou 1,7 mil adultos com idades entre 19 e 32 anos, buscando conexões entre sua utilização dessas ferramentas e os distúrbios do sono.
Quase 30% dos participantes apresentaram altos níveis de perturbações do sono, a maior parte deles sendo viciada em sites de redes sociais. De acordo com a doutora Jessica Levenson, principal autora do estudo, os resultados podem indicar que a frequência das visitas de mídia social é o melhor preditor de dificuldade para dormir. O estudo indica que, como os médicos perguntam se um paciente bebe ou fuma, eles podem perguntar sobre os hábitos de utilização das redes sociais, caso a pessoa se queixe de problemas no sono.

De acordo com os pesquisadores, é preciso realizar mais estudos para entender causa e efeito e identificar se a rede social perturba o sono ou se é o distúrbio de sono que aumenta o uso das redes sociais.

 

http://goo.gl/yS99eP

Bateria cinco vezes mais duradoura pode surgir em breve

Sem Título-2

Um estudo publicado na semana passada no periódico científico Nature propôs uma nova forma de baterias para substituir as atuais de íon-lítio. Chamados de “baterias de lítio-oxigênio”, esses novos componentes poderão oferecer vida útil até cinco vezes maior que as baterias de smartphone atuais.

A bateria se baseia em superóxido de lítio (de fórmula LiO
2), que oferece uma alta densidade energética. por conta dessa propriedade, o composto já havia sido pesquisado na esperança de se criar uma bateria com maior durabilidade. No entanto, por tratar-se de um composto instável, ainda não foi póssível criar um protótipo.

Por ser instável, o superóxido de lítio acabava formando peróxido de lítio (Li
2O2), que por sua vez “entupia” os pólos da bateria e impedia que ela funcionasse. No entanto, o estudo mais recente, assinado por 19 autores, sugere um método de se estabilizar o superóxido de lítio usando um cátodo de base grafeno. Esse cátodo impede que o LiO2 reaja formando peróxido de lítio (Li2O2) e permite que a bateria funcione.

Como resultado, seria possível criar novas baterias para substituir todas as baterias recarregáveis de íon-lítio que são usadas atualmente. 
Segundo Larry Curtis e Khalil Amine, as novas baterias poderiam durar cinco vezes mais que as atuais. Alguns dos aparelhos que poderiam se beneficiar dessa inovação são smartphones, tablets, notebooks e até mesmo carros híbridos.

http://goo.gl/2ZIs1x

Por que o carregador do seu notebook ou celular fica tão quente?

Sem Título-1

Você já tirou o seu celular da tomada e percebeu que o carregou ficou absurdamente quente? O mesmo pode acontecer com carregadores de notebooks e outros eletrônicos do tipo. O pessoal do canal Vox, no YouTube, se perguntou por qual razão isso acontece e se não haveria uma forma de evitar o problema. O vídeo acima mostra, em inglês, que a situação tem a ver com a conversão da corrente elétrica de alternada para contínua.

Essa conversão é feita nas “fontes” de nossos eletrônicos, já que a corrente elétrica que vem da usina hidroelétrica para sua casa é alternada, e a maioria dos eletrônicos mais modernos só funciona com correntes contínuas. Esse processo de conversão desperdiça energia e, por isso, o transformador dissipa o excesso em forma de calor.

Lâmpadas, geladeiras, aspiradores de pó, liquidificadores e aparelhos dessa natureza não precisam converter a corrente elétrica por serem mais simples e não operarem com circuitos eletrônicos como principal fonte de funcionamento. Dessa forma, quando o padrão de transmissão foi sendo implantado pelo mundo, a corrente alternada foi tida como mais adequada, já que isso aconteceu há muitas décadas, quando não havia muitos eletrônicos por aí.

Economia

A corrente alternada ainda tem uma vantagem bastante significativa sobre a contínua. Ela é mais adequada para transmissão via cabo por longas distâncias, uma vez que permite aumentar a tensão para níveis bem elevados e, com isso, não perder muitos elétrons (a corrente elétrica é basicamente elétrons correndo por um fio) no caminho. Se usássemos corrente contínua para a transmissão de alta tensão, seria necessário ter uma usina em cada bairro de uma cidade grande, por exemplo.

Hoje em dia, entretanto, como nossos aparelhos domésticos são, em sua maioria, de corrente contínua, precisamos dos famigerados transformadores, que esquentam ao desperdiçar um bocado da eletricidade. Eles ainda ajustam a tensão necessária para cada aparelho.

 

http://goo.gl/Zat0VS

Usuários do Google Play Games não serão mais obrigados a ter conta no Google+

Sem Título-3

O Google+, rede social que chegou a ser considerada um dos produtos de maior importância para o Google no passado, está pouco a pouco perdendo seu prestígio. Nesta última segunda-feira, 25, a empresa anunciou que usuários do seu serviço de games não precisarão mais ter uma conta obrigatória no G+.

O Google Play Games é uma plataforma que permite aos usuários de Android compartilhar informações e dividir jogos com amigos em outros dispositivos pela web – como uma Xbox Live ou PlayStation Network, por exemplo. Até hoje, porém, os jogadores precisavam se cadastrar no Google+ para poder utilizar o Google Play Games, o que não será mais necessário em breve.

Além disso, os gamers não precisarão mais fazer login no serviço toda vez que iniciarem um novo jogo. Em vez disso, o Google vai atualizar sua plataforma para que o login só seja feito uma vez em cada dispositivo utilizado. Aos que fizeram um perfil no Google+ só para usar o Google Play Games, suas contas ainda poderão ser utilizadas – mas, ao que parece, nem mesmo o Google tem mais tanto interesse na rede social.

http://goo.gl/Tyeu49

Alphabet supera Apple e se torna empresa mais valiosa do mundo

Sem Título-2

No final da semana passada, a Apple foi ultrapassada pela Alphabet (empresa dona do Google), que se tornou a empresa mais valiosa do mundo em Enterprise Value. Segundo essa medida, a Alphabet vale US$ 420 bilhões; a Apple, por sua vez, vale “apenas” US$ 393 bilhões.

Um dos fatores que contribuiu para essa mudança foi a 
previsão de que 2016 marcará o primeiro ano em que as vendas totais de iPhones verão uma queda desde o lançamento do produto. Vale lembrar também que a Alphabet é uma holding que inclui diversas empresas enormes, uma das quais é o Google.

Medidas de valor

Embora tenha sido ultrapassada pela Alphabet em termos de Enterprise Value (Valor da Empresa), a Apple continua a ser a empresa mais valiosa do mundo segundo Market Cap (Capitalização de Mercado). Para se obter o valor de uma empresa em Market Cap, basta multiplicar o número total de ações vendidas pela empresa pelo valor unitário de suas ações.

Para se calcular o Enterprise Value, por outro lado, é necessário realizar essa conta, somar ao resultado todas as dívidas das empresas (os passivos onerosos) e subtrair dele o total em dinheiro que a empresa possui em caixa. Como o Enterprise Value inclui mais variáveis, alguns analistas consideram-no uma medida mais precisa sobre o valor de uma empresa que o Market Cap.

Desvalorização

Atualmente, as ações da Apple estão sendo negociadas a US$ 99, segundo o 
Phone Arena. As previsões para o futuro valor dos papeis da empresa variam entre US$ 143 e US$ 85. Esse último valor é estimado pelo analista Adnaan Ahmad, que considera que o momento atual da Apple é semelhante ao que ocorreu com a Blackberry e com a Nokia. “As previsões não são boas para a Apple a não ser que ela crie uma grande categoria nova de produtos nos próximos dois anos”, opinou Ahmad.

http://goo.gl/fJlzhz

WhatsApp pode passar a compartilhar dados do usuário com Facebook

Sem Título-1

Um desenvolvedor chamado Javier Santos publicou imagens de um curioso novo recurso que ele encontrou na versão beta do WhatsApp para Android. Embora o criador do aplicativo tenha afirmado que seu serviço jamais abriria mão da privacidade do usuário diante da compra do Facebook, parece que esse princípio pode estar ameaçado.

Nas imagens publicadas por Javier, é possível ver uma nova opção na tela de configurações de conta do app. A opção, “Compartilhar informações da minha conta”, vem desmarcada por padrão e, se ativada, permite “compartilhar informações da minha conta do WhatsApp com o Facebook para aprimorar minha experiência com o Facebook”.

Reprodução

Não está claro que tipo de informações o WhatsApp estaria disposto a liberar para o Facebook, já que, até onde se sabe, o app não armazena dados de localização, preferências ou sequer o histórico das conversas. O recurso só está disponível no modo beta, o que significa que talvez seja liberado em uma próxima atualização (ou não).

 

http://goo.gl/V9eI3m