Entenda por que muitos eletrônicos vão ficar mais caros a partir de 2016

Não é uma novidade para ninguém que a crise está afetando de forma significativa a economia do nosso país. Além da diminuição do poder de compra dos consumidores, o aumento considerável em alguns produtos torna ainda mais difícil a aquisição de novos bens. Essa tendência, infelizmente, também afeta os eletrônicos.

De acordo com o Grupo Magamobi – empresa que está presente em nosso país através de lojas de e-commerce reconhecidas, como Cissa Magazine eGurivéio –, esses últimos dias do ano representam a oportunidade ideal para aproveitar as compras antes do aumento dos preços. Segundo o representante do grupo, o aumento de 9,25% da Lei do Bem (PIS/Cofins) e o aumento da incidência do ICMS – que em Santa Catarina vai ser de 7% para produtos importados e 4% para nacionais, o que provavelmente indica aumento em outros estados – serão os grandes vilões dos preços logo no começo do ano.

É para permitir que os consumidores aproveitem essa oportunidade que a Cissa Magazine realiza oBlack Cissa, a última oportunidade para adquirir os seus produtos antes do aumento de preços. São diversos itens com até 47% de desconto, com destaque para smartphones, placas de vídeo e dispositivos vestíveis. Vale a pena conferir, especialmente se você perdeu as ofertas durante a Black Friday e Cyber Monday. Mas fique atento: para aproveitar a alíquota antiga, é preciso efetuar o pagamento até amanhã para que o pedido possa ser faturado até o dia 31.

Ainda vale a pena lembrar que a vigência da Lei do Bem ainda é um mistério para os consumidores brasileiros. Indícios sugeriam que o benefício poderia ser retomado em 2016 e uma liminar da Multilaser que conseguiu manter a isenção dá ainda mais esperança para a manutenção desse prática. Será que podemos contar com isso?

 

Nova York começa a instalar cabines de Wi-Fi público com internet Gigabit

Anunciado em 2014, o projeto LinkNYC está finalmente sendo colocado em prática na cidade norte-americana de Nova York. As ultrapassadas cabines telefônicas do município serão substituídas por hotspots de Wi-Fi público, com internet a partir de 1 Gigabit de velocidade.

Ao todo, a rede terá 7.500 hotspots de internet grátis para os americanos. Até julho de 2016, a expectativa é que ao menos 500 cabines estejam instaladas e operantes. Além de Wi-Fi, os pontos terão portas USB para o carregamento de smartphones, entrada para fone de ouvido e os telefones que já estão lá.

Segundo os administradores do LinkNYC, cada ponto de acesso oferecerá uma rede Wi-Fi que alcança um raio de 45 metros. Além de tudo isso, os hotspots terão, em breve, uma tela touchscreen para os usuários navegarem na web e usarem recursos como mapas e ligações gratuitas. E no Brasil, quando você acha que essa tecnologia deve chegar?

 

Redes sociais ajudam a encontrar responsáveis por pirataria

Algumas agências especiais estão realizando investigações para encontrar envolvidos com pirataria a partir de redes sociais.

O TorrentFreak investigou recentes condenações de três envolvidos no crime no Reino Unido para entender como eles foram descobertos. Para a surpresa, os suspeitos foram descobertos a partir de envolvimentos com redes sociais.

Por exemplo, um dos suspeitos que postou uma série de torrents usava vários nomes de usuário como ‘memory100’, ‘hail_alpha’ e ‘sohail20’. Com esses nomes, o órgão responsável pela proteção dos direitos autorias do Reino Unido percebeu uma combinação entre sobrenome e nascimento e, logo, conseguiram encontrar o verdadeiro envolvido no Facebook e alertar a polícia.

O Facebook também auxiliou na busca de um outro suspeito, que usou a mesma conta de e-mail anônimo que usava em seus compartilhamentos piratas. O objetivo do órgão do Reino Unido, chamado de FACT, é fazer com que os usuários pensem duas vezes antes de compartilhar conteúdo protegido por leis de monopólio de direitos autorais.

Zuckerberg compara internet básica grátis a bibliotecas e hospitais públicos

Depois de a Autoridade Reguladora de Telecomunicações da Índia (TRAI) ter, na última semana, pedido para que a parceira do Facebook no país, a Reliance Communications, suspender temporariamente o acesso ao Free Basics, antigo Internet.org, para que seus termos e condições fossem analisados detalhadamente, Mark Zuckerberg escreveu um editorial de defesa do serviço em um jornal indiano.

O fundador do Facebook comparou o Free Basics com serviços como bibliotecas e hospitais públicos na coluna que escreveu para o The Times of Índia. Ele afirma que embora as bibliotecas não ofereçam todos os livros a serem lidos e os hospitais não curem todas as doenças, eles ainda providenciam “um mundo de coisas boas”.

Dessa forma ele sugere que não é apenas porque o seu serviço ofereça gratuitamente acesso a apenas um número limitado de sites, que ele não é um serviço público essencial. As maiores críticas ao Free Basics dizem que o serviço fere o princípio de neutralidade da rede ao não dar acesso a todos os sites, mas apenas alguns escolhidos pelo Facebook.

No editorial, Zuckerberg escreveu que não está surpreso com o criticismo ao Free Basics, pois durante o último ano houve um grande debate a respeito disso. “Ao invés de querer dar às pessoas acesso a alguns serviços básicos de internet de grala, as críticas ao programa continuam a espalhar alegações falsas, mesmo que isso signifique deixar para trás um bilhão de pessoas”, afirma ele.

Espera-se que o TRAI faça a sua decisão oficial em janeiro. Enquanto isso, o Facebook deverá continuar a fazer o seu lobby para que combater os críticos do Free Basics.

Os melhores acontecimentos de 2015, segundo Bill Gates

Bill Gates, fundador da Microsoft, publicou em seu blog pessoal a tradicional lista com os acontecimentos mais importantes do ano na opinão dele. Gates considera que 2015 foi benéfico e trouxe avanços em várias áreas.

Gates comenta que notícias ruins e acontecimentos como os ataques terroristas e guerras acabam escurecendo a imagem do que se está sendo feito no mundo. Ele cita o trabalho feito em cooperação global sobre mudanças climáticas e energias como uma excessão à regra das notícias negativas. Segundo ele, foi difícil reunir poucas histórias em meio a tantos destaques; confira abaixo as escolhidas.

África sem registro de casos de Pólio
Em 24 de julho, a Nigéria bateu o marco de um ano sem registro de novos casos de pólio. O país era o último da África para interromper a transmissão selvagem da doença, que alguns especialistas acreditavam que nunca chegaria. Aliando uma equipe de mapeamento, voluntários e fornecimento de vacinas, a Nigéria mostrou que estratégias inteligentes funcionam mesmo em condições muito difíceis.

Neil Tyson defendeu a ciência de modo impressionante
O astrofísico Neil de Grasse Tyson recebeu em abril o prêmio de maior prestígio da ciência da Academia Nacional. Gates afirma que Tyson aparece em sua lista não pelo prêmio em si, mas pelo discurso proferido no dia que, de acordo com o executivo, foi o melhor argumento que já ouviu sobre garantir que a ciência desempenhe um fundamental papel na formulação de políticas. O discurso pode ser conferido aqui.

Nobel de Medicina para pesquisadores que combatem doenças dos mais desfavorecidos
O Prêmio Nobel deste ano foi concedido a três pesquisadores responsáveis por desenvolver ferramentas indispensáveis para combater doenças de pessoas economicamente desfavorecidas. Os pesquisadores William C. Campbell, dos Estados Unidos, e Satoshi Omura, do Japão, levaram o prêmio pela elaboração da Ivermectina, droga que é eficaz no tratamento de uma ampla gama de doenças causas por vermes parasitas. Além de Tu Youyou, da China, que desenvolveu a artemisinina, que atua no tratamento da malária.

Preparatórios para exames gratuitos nos EUA
A criadora do SAT em conjunto com a Academia Khan lançou um portal de aprendizagem on-line gratuito para todos os estudantes que estejam de preparando para o SAT ou PSAT. Gates cita que a medida é fundamental para atender estudantes que não possuem condições de pagar por aulas ou outros testes.
SAT Test Prep está agora livre para todos

Serviço bancário móvel
Gates acredita que o desenvolvimento de serviços bancários para a plataforma móvel foi uma das ferramentas que ajudaram as pessoas a saírem da pobreza, oferecendo serviços financeiros e permitindo que todos participassem da economia. Um estudo do Instituto Brookings mostrou que uma série de países, incluindo o Brasil, estão fazendo compromissos nacionais de inclusão financeira e ajudando o mobile banking a atingir a maioria da população.

Rubéola eliminada das Américas
Em abril deste ano, autoridades das Américas declararam a região como a primeira do mundo a eliminar a rubéola endêmica depois de 15 anos de esforços em vacinação. A campanha desenvolvida livrou mais de 100 mil crianças de contraírem a síndrome da rubéola.

 

Lei chinesa determina espionagem digital contra terrorismo

O Parlamento da China aprovou neste domingo uma nova lei antiterrorismo polêmica, que exige que empresas de tecnologia repassem ao governo informações sigilosas, como chaves de criptografia, e que permite que os militares realizem operações contra o terrorismo no exterior.

Autoridades chinesas disseram que o país enfrenta uma ameaça crescente de militantes e separatistas, especialmente na região rebelde de Xinjiang, no Oeste, onde centenas morreram em episódios de violência nos últimos anos.

A lei despertou grande preocupação em capitais ocidentais, não somente devido aos temores de que possa violar direitos humanos, como a liberdade de expressão, mas por causa das provisões no tocante à cibernética. O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, já expressou sua preocupação com a lei diretamente ao presidente chinês, Xi Jinping.

Discursando após a aprovação da legislatura, Li Shouwei, vice-líder da divisão de leis criminais do Parlamento sob a égide do comitê de relações legislativas, disse que seu país está simplesmente fazendo o que outras nações ocidentais já fazem ao pedir que as companhias tecnológicas ajudem a lutar contra o terrorismo.

“Esta regra está de acordo com o trabalho necessário para combater o terrorismo, e é basicamente o mesmo que outras grandes potências do mundo fazem”, declarou Li aos repórteres.

A medida não irá alterar o funcionamento normal das empresas e elas não têm nada a temer no que diz respeito à instalação de “portas dos fundos” (canais ilegais de acesso a computadores) ou à perda de direitos de propriedade intelectual, acrescentou.

Autoridades de Washington argumentam que a lei, combinada com as novas regras propostas para o sistema bancário e o setor de seguros e uma série de investigações antitruste, equivale a uma pressão regulatória ilegal visando empresas estrangeiras.

Dono do Megaupload deve ser extraditado para os EUA

O empreendedor tecnológico alemão Kim Dotcom perdeu nesta quarta-feira uma tentativa de bloquear sua extradição da Nova Zelândia para osEstados Unidos para encarar processos por violação de copryright e lavagem de dinheiro, uma grande vitória para o Departamento de Justiça norte-americano nesse longo caso.

A decisão da corte da Nova Zelândia veio quase quatro anos depois de a polícia invadir a mansão de Dotcom ao oeste de Auckland a pedido do FBI e fechar seu popular website de compartilhamento de arquivos, Megaupload.

“Estou decepcionado”, disse Dotcom a jornalistas enquanto deixava a corte, prometendo lutar contra a decisão e desejando aos observadores um “feliz Natal”.

As autoridades norte-americanas dizem que Dotcom e três outros executivos do Megaupload custaram aos estúdios de cinema e gravadoras mais de 500 milhões de dólares e geraram mais de 175 milhões de dólares em lucro ao encorajar usuários pagantes a guardar e compartilhar material com copyright, como filmes e programas de televisão.

A promotoria da Nova Zelândia, que defendeu o caso pelo governo norte-americano, disse que Dotcom e seus executivos encorajaram e pagaram usuários para fazer upload de filmes e músicas pirateadas para gerar lucro.

Os advogados de Dotcom argumentaram que a evidência disso era pequena e que o Megaupload era um provedor de serviço de Internet similar a outros serviços como Dropbox, e protegido pela lei de copyrithg da responsabilidade de usuários fazerem upload de arquivos pirateados.

 

Próxima atualização do WhatsApp poderá incluir chamadas em vídeo

O WhatsApp pode ficar cada vez mais parecido com o Skype, aplicativo de mensagens instantâneas da Microsoft. O app que pertence ao Facebook – e um dos mais utilizados pelos brasileiros – deve ganhar, em breve, uma opção de chamadas por vídeo.

A notícia surgiu na imprensa alemã e ainda não possui confirmação oficial. Ao que tudo indica, o novo recurso deve chegar primeiro para usuários de iPhone e, em seguida, para o smartph ones com sistema Android. A novidade pode já ser incluída na próxima atualização do aplicativo.

Além disso, um outro recurso bem útil que pode chegar ao WhatsApp é a divisão de conversas por abas. Com esse sistema, será possível trocar de janela e contato com mais facilidade, por uma barra a ser incluída na parte superior da tela do aplicativo. Não há ainda previsão de quando a atualização será lançada.

 

Google testa método para acessar sua conta sem senha

O Google começou a experimentar a possibilidade de que pessoas consigam usar seus serviços sem a necessidade de uma senha. Alguns usuários estão sendo convidados a testar um novo método de autenticação, que exibe uma notificação no celular em vez de pedir a digitação de uma palavra-chave.

Neste novo método, você só precisa fornecer seu endereço de e-mail. Depois disso, seu celular receberá uma notificação perguntando se você está tentando fazer o login em outro dispositivo. Se você confirmar, o login é concluído.

A ideia é apostar na popularização dos smartphones, que se tornam, aos poucos, praticamente parte integral do corpo humano. Quanto mais pessoas tem smartphones, mais o método de autenticação se torna viável.

O motivo para a mudança é que a indústria de tecnologia chegou a um consenso nos últimos anos: senhas não são mais seguras. Portanto, as empresas estão criando novas formas de autenticação que não envolva uma palavra-chave confusa e difícil de lembrar. Normalmente, a autenticação em duas etapas é o caminho escolhido, com mais uma fase de autorização, que inclui, em geral, a geração de um código enviado por celular ou exibido por um token. Este segundo caso é muito comum em bancos.

Quando questionado pelo Tech Crunch, o Google confirmou o teste, que havia sido revelado primeiro no Reddit e descoberto pelo Android Police. “Convidamos um grupo pequeno de pessoas para testar o novo modo de fazer login na conta do Google sem senha. ‘Pizza’, ‘password’ e ‘123456’ – seus dias estão contados”, diz o comunicado do Google.

Os usuários convidados ganham acesso a um grupo e recebem um e-mail que explica como funciona o processo. No entanto, as pessoas ainda podem continuar digitando suas senhas se elas assim preferirem. Além disso, o Google diz que pode continuar usando a senha como segundo fator de autenticação, em caso de alguma atividade incomum for percebida. Também é importante manter sua senha caso seu celular seja perdido, roubado ou pare de funcionar.

 

Google prepara sistema de inteligência artificial para apps de mensagem

O Google ficou para trás no setor de mensageiros instantâneos, mas resolveu eliminar o tempo perdido atacando uma vertente que começou a se desenvolver agora: a inteligência artificial. O Wall Street Journalreporta que a gigante de buscas prepara uma plataforma que atuará por trás de Hangouts e Messenger com chatbots, softwares programados para responder perguntas.

Cada vez que o usuário tiver uma questão, ele pode apelar para o robô, que usará a internet e o conhecimento que tem sobre a pessoa para responder. Por exemplo, se o sujeito pede indicações de restaurantes, a máquina poderia mostrar uma churrascaria, mas o usuário pode responder que é vegetariano, o que fará com que ele nunca mais receba indicações do tipo.

Ainda não há informações sobre o nome da novidade ou sua data de lançamento, mas o WSJ conversou com várias fontes dentro da empresa que confirmam as informações. Quem lidera o desenvolvimento é Nick Fox, que em outubro tentou comprar a 200 Labs – responsável por desenvolver chatbots que atuam no Telegram.

Além do Telegram, o Messenger do Facebook e o WeChat já começaram a trabalhar com inteligência artificial e, embora o Facebook costume cortar iniciativas com chatbots do WhatsApp, o serviço também se mostra apto a esse tipo de experimento.