Comércio Eletrônico em Alta!

As vendas por meio da Internet devem permanecer aquecidas ao longo deste ano. As boas projeções levam em conta os negócios registrados em 2010, sobretudo no período que antecedeu o Natal, entre os dias 15 de novembro e 24 de dezembro. Nesse período, as vendas cresceram 40% no país em relação ao mesmo intervalo de 2010, segundo a empresa de monitoramento de comércio eletrônico e-bit. A receita bruta dos sites de comércio eletrônico neste período, puxada pelas vendas de bens de consumo para o Natal, totalizou R$ 2,2 bilhões.

 

A categoria de eletrodomésticos liderou o volume de pedidos no fim do ano, seguida por informática, saúde, beleza e medicamentos, livros e eletrônicos. O valor médio dos pedidos feitos pela Internet ficou em R$ 370,00. Segundo a e-bit, o pico de pedidos ocorreu no dia 14 de dezembro, com mais de 224 mil compras. No ano passado, o pico ocorreu em 16 de dezembro, com mais de 150 mil compras. Conforme a empresa, 55% dos e-consumidores que fizeram uma compra pela Internet estimulados por rede social são mulheres, o que poderia indicar uma maior propensão do público feminino a ser seduzido pelas ofertas ou pelas recomendações nesse canal. No comércio eletrônico em geral, a divisão é exatamente 50% homens e 50%, mulheres.

Para o presidente do Sindicato dos Lojistas de Porto Alegre (Sindilojas), Ronaldo Sielichow, o comércio eletrônico é a tendência mundial e os lojistas gaúchos estão se inserindo nesse segmento. Recentemente ele visitou a NRF em Nova Iorque, um dos maiores eventos do varejo global, e conferiu as tendências do setor: consumidores do futuro e tendências do varejo, entre as quais as inovações no e-commerce. “O comércio eletrônico cresce muito e aqui não é diferente. Lojistas que não ingressarem nesse segmento estarão à margem do mercado, pois é uma maneira de incrementar as vendas e atender às necessidades dos clientes.”

Fonte: Correio do Povo / Economia