5 fatos sobre os ousados táxis voadores autônomos

ehang-drone-autonomo-taxi-dubai

A cidade de Dubai, nos Emirados Árabes, anunciou que o primeiro serviço de táxis aéreos autônomos começará a funcionar por lá neste ano.

O drone, chamado EHang 184, promete ser o futuro dos transportes individuais em grandes centros urbanos. Confira a seguir 5 fatos sobre o veículo.

Como ele voa

O EHang 184 tem quatro hélices e terá propulsão totalmente elétrica. Cada nova carga leva cerca de duas horas para se completada e, então, ele pode alçar voo novamente. Aliás, ele é pequeno, com seu 1,5 metro, e a altitude máxima que atinge é de 300 metros.

ehang-drone

Automonia

O EHang 184 pode transportar somente uma pessoa por viagem. Ele poderá voar durante 30 minutos ou até atingir a distância máxima, que são 50 kms.

drone-ehang

Velocidade

Os drones autônomos não serão tão velozes quanto os aviões comerciais atuais. Como voam bem mais baixo do que eles, a velocidade média será de 100 km/h. No entanto, eles podem chegar a 160 km/h, se necessário.

ehang-quadricoptero

Segurança

O drone é monitorado a partir de uma central em terra firme. Uma conexão 4G no veículo mantém contato com a base o tempo todo. Essa comunicação, segundo a empresa responsável, será criptografada para evitar o roubo de dados por hackers mal-intencionados.

O drone tem sensores para evitar batidas em obstáculos, como prédios, árvores e muros. Em caso de emergências, como colisões ou qualquer tipo de incidente que ponha a viagem em risco, o EHang 184 vai encontrar um ponto seguro para pousar.

drone-ehang-cabine

O passageiro deve ter até 100 kgs e pode carregar uma pequena mala dentro do drone.

Vale notar que EHang 184 já foi testado na cidade de Dubai antes do anúncio do lançamento do serviço de táxi aéreo.

Preço

Os preços das viagens ainda não foram definidos. O drone, em si, é bem caro: entre 200 mil e 300 mil dólares.

O plano de Dubai é que 25% dos deslocamentos na cidade sejam totalmente autônomos até o ano de 2030.

Veja o vídeo de divulgação do EHang 184 a seguir.

https://goo.gl/O4D1PF

Opera anuncia reformulação total do seu navegador

A Opera anunciou ontem que trabalha em uma grande reformulação do seu navegador para desktops — e até já liberou a primeira versão de testes da novidade.

O projeto de redesenho é chamado de “Reborn” (“renascido”, em português) e tem foco na aparência. Tanto que um dos destaques é o fato de que o Opera passará a ser o mesmo em todas as plataformas, proporcionando uma experiência igualitária entre todos os seus usuários.

“As abas estão simplificadas, mais leves e elegantes, o que torna mais fácil localizar abas abertas”, conta a empresa. A barra lateral também foi mexida, ficando “mais sutil e refinada, com um toque de animação”.

Essa barra, aliás, ganhou destaque, porque passará a vir ativada por padrão, funcionando de forma parecida com aquela que existe no Opera Neon, navegador experimental lançado recentemente pela marca. É possível usar a barra para incluir atalhos e até extensões. A primeira disponível é uma que deixa o Facebook Messenger visível o tempo todo; basta clicar no ícone e todas as suas conversas aparecerão.

Outro toque estético é que o Opera virá em dois padrões de cor: um claro e um escuro. “Também desenvolvemos três novos planos de fundo que complementam perfeitamente a nova aparência do Opera”, informa a empresa. Tudo isso pode ser configurado pela área de temas do navegador.

Por enquanto, apenas a versão para desenvolvedores está disponível, o que significa que esse novo Opera ainda não é estável. Se quiser testá-lo, clique aqui.

https://goo.gl/6InHtN

Cientistas da IBM criam molécula que pode ser usada em computação quântica

Pesquisadores da IBM revelaram nesta semana que conseguiram sintetizar uma molécula que antes se imaginava “impossível”. Chamada de “Triangulene”, a descoberta foi sugerido pela primeira vez há quase 70 anos e pode vir a ser de grande utilidade em computadores quânticos.

A molécula é composta por seis hexágonos unidos pelas bordas para formar um triângulo – uma geometria incomum que acaba deixando dois elétrons não pareados. Normalmente, esses elétrons não seriam capazes de formar um elo estável, mas, no método usado pelos pesquisadores, isso foi possível.

Teorizada pela primeira vez em 1950 pelo cientista tcheco Erich Clar, essa molécula foi objeto de estudo de centenas de pesquisadores que tentaram durante anos sintetizá-la usando métodos tradicionais. O problema é que essa instabilidade fazia com que a molécula oxidasse muito rapidamente.

O método criado pelos cientistas da IBM nesse caso, porém, usa uma ponta de agulha microscópica para manipular individualmente os átomos que compõem a molécula. O método tradicional envolve colocar moléculas juntas para que elas possam reagir espontaneamente e assim construir estruturas mais complexas.

As possíveis aplicações do Triangulene ainda estão sendo estudadas, mas uma delas já gera expectativa: computação quântica. A sonhada tecnologia que pode, um dia, dar vida a computadores milhares de vezes mais rápidos do que os que temos hoje pode se beneficiar, e muito, das propriedades da nova molécula.

Uma delas é sua propriedade magnética. Segundo os cientistas, os dois elétrons não pareados têm rotação alinhada, o que lhes permite ter orientação magnética suficiente para lidar com os bits quânticos, ou qubits. Por enquanto, porém, tudo ainda está no ramo da teoria e longe de chegar à prática. Mas, para os pesquisadores por trás da descoberta, foi um importante primeiro passo.

https://goo.gl/6NRfcE

WhatsApp deve ganhar recursos do Snapchat e Instagram Stories

WhatsApp em smartphone da Samsung e iPhone

Em suas futuras atualizações, o WhatsApp deve ganhar novidades que ampliam o uso do aplicativo de mensagens. De acordo com o @WABetainfo, que analisa versões de testes do WhatsApp, os usuários poderão publicar vídeos, textos e fotos que ficam no ar por 24 horas.

Esses recursos são parecidos com os disponíveis no Snapchat e no Instagram Stories.

Os vídeos, com duração de até 45 segundos, e demais conteúdos poderão ser acessados quando clicamos no status de um contato. Será possível selecionar quem poderá ver as suas atualizações e também receber comentários sobre elas.

No passado, as atualizações de status já foram algo importante para o WhatsApp. Como conta Randall Lane no livro “Pense como os novos bilionários” (HSM), Jan Koum, cofundador da empresa, considerou que seria uma boa ideia enviar alertas sobre os status dos usuários, uma vez que as notificações tinham acabado de chegar aos iPhones, em 2009.

A partir dessa iniciativa, o app evoluiu gradualmente para o mensageiros que usamos hoje e o status ficou em segundo plano – ao menos, até que essa nova atualização chegue a todos.

https://goo.gl/Hxgt3i

10 truques do Spotify que talvez você não saiba

O Spotify, um dos serviços de streaming de maior sucesso atualmente, conta com uma série de truques escondidos que podem facilitar a sua vida. Listamos abaixo 10 dicas para que você se torne um “expert” na plataforma e aproveite ao máximo o que ela oferece. Confira:

1. Playlists Colaborativas

Reprodução

É possível criar listas de reprodução com seus amigos para ouvir durante uma viagem, por exemplo. No aplicativo para desktop, clique em uma playlist e selecione a opção “Playlist Colaborativa”. Um pequeno ícone vai aparecer acima do ícone da pasta, indicando que ela é colaborativa. Mas fique atento: qualquer um dos amigos com acesso à lista pode adicionar ou remover faixas.

2. Versão original

Se você está ouvindo a uma música que teve trechos censurados, mas deseja ouvir a versão chamada “explícita”, role a tela para baixo e procure “1 More release”, ou “Mais lançamentos”. Você terá acesso à versão original.

3. Sessão privada

Reprodução

Está com vergonha de ouvir uma música ou não deseja que as pessoas saibam quais faixas você anda reproduzindo? Inicie uma sessão privada. Vá em “Arquivo” e clique em “Seção privada”.

4. Recupere playlists apagadas

Abra a versão web do serviço e clique no seu perfil.

  1. À esquerda, selecione a opção “Recuperar playlists”;
  2. Clique em “Restaurar” ao lado da playlist que você quer recuperar;
  3. Abra novamente o app. A playlist resgatada deve aparecer na parte de baixo da lista de playlists.

5. Corrida

Reprodução

O Spotify Running é um recurso para ajudar corredores. Baseado no ritmo de corrida do usuário, o sistema usa o acelerômetro  do smartphone para sugerir músicas de acordo com a animação do atleta. Para ativá-lo, abra a seção de playlists e clique em Running. Depois, clique em “Começar corrida” e comece a correr.

6. Encontre colaborações

Digite usando o símbolo “+” ou a palavra “AND” para encontrar parcerias entre dois artistas.

7. Crie efeitos entre as faixas

Reprodução

No ícone de Menu, que fica à direita da tela, selecione a opção “Preferências” e vá até “Configurações avançadas”. Em “Reprodução”, habilite a opção “Fazer uma transição gradual entre as músicas”. É possível até escolher a duração do efeito.

8. Atalhos do teclado

Confira alguns atalhos para PC e Mac:

  • Reproduzir / Pausar: Espaço
  • Ir para a próxima faixa: Windows: Control+ seta da direita | Mac: Command+ seta da direita
  • Faixa anterior: Control + seta da direita |Mac:  Command+ seta da direita
  • Aumentar ou diminuir o volume: Control + seta para cima/ para baixo | Mac: Command+ seta para cima/ seta para baixo
  • Criar nova playlist: Control+ N

9. Celular como controle remoto

O serviço de streaming de áudio deixa o usuário usar o smartphone como controle remoto, para reproduzir faixas no aplicativo para PC. Para isso, é preciso que os dois dispositivos estejam conectados à mesma rede Wi-Fi e à mesma conta de usuário. Depois disso, acesse as configurações e clique em “Connect”.

10. Retire artistas dos resultados da busca

Se você quer buscar por algo no Spotify, mas não deseja que determinado artista apareça nos resultados, digite o que procura, “NOT”, seguido de quem gostaria de excluir da pesquisa.

https://goo.gl/AOJDBG

Como restaurar o computador pelo Windows para melhorar sua performance

 

Anos depois de sair da loja, seu computador já não é mais o mesmo. Ele começou a ficar muito lento, travar com frequência e mesmo tarefas que antes eram simples parecem exigir demais dele. A solução ideal seria melhorá-lo ou comprar outro, mas agora você não pode. Nesse caso, restaurá-lo às configurações de fábrica pode ser uma boa saída.

Durante sua vida útil, os computadores (mesmo os bem cuidados) acumulam muitos arquivos e operações que vão ocupando sua memória e deixando-o mais lento. Quando o PC volta às configurações de fábrica, praticamente tudo é apagado – incluindo esses arquivos acumulados – e isso pode ajudar a otimizar o funcionamento dele.

Se esse procedimento parecer adequado ao seu caso, veja a seguir como restaurar seu PC às configurações de fábrica:

Antes de prosseguir, tenha em mente que esse procedimento levará o computador praticamente de volta à maneira como ele saiu da caixa. Se houver quaisquer arquivos que você queira guardar, certifique-se de fazer backup antes disso.

1. Acesse as configurações do Windows clicando no ícone de engrenagem do menu Iniciar, e selecione a opção “Atualização e segurança”:

Reprodução!

2. Clique em “Recuperação”, na aba à esquerda, e, em seguida, sob o item “Restaurar o PC”, clique em “Começar agora”:

Reprodução

3. Há duas opções: “Manter meus arquivos” e “Remover tudo”. A segunda é mais completa e tem maior probabilidade de resolver o problema, mas também tem maior probabilidade de apagar algo importante. Escolha a que lhe parecer mais adequada.

Reprodução

4. Seu computador mostrará uma lista dos programas que precisarão ser reinstalados após a restauração. De qualquer maneira, o processo começará assim que você clicar em “Avançar”.

Reprodução

https://goo.gl/3CI5oe

Aprenda a checar a temperatura do seu PC para evitar problemas

 Como já explicamos aqui no Olhar Digital, o aquecimento excessivo do computador é um transtorno comum e pode causar uma série de problemas, desde o desligamento repentino até a queima de componentes do aparelho.

Principais causas

Diversos motivos podem contribuir para o aquecimento de um PC, entre eles a acumulação de pó nas ventoinhas, o overclocking, a obstrução de saídas e até a temperatura ambiente. Fique sempre atento a esses fatores para eliminar as chances de complicações.

Qual a temperatura ideal?

Não existe uma temperatura ideal para um dispositivo, mas é bom pensar que, quanto menos quente, melhor. Mas fique atento: o PC não deve ter uma temperatura muito baixa, já que isso causa a criação de gotas de água em seu interior.

É possível, no entanto, evitar problemas monitorando a temperatura do PC para que ele não esquente demais. Isso pode ajudar também a determinar que o problema existe e buscar quais são as suas principais causas. O Windows já conta com uma ferramenta para checar se o dispositivo está muito quente, mas também existem aplicativos específicos para a tarefa. Saiba como fazê-la:

1. Windows

Ao ligar o computador, pressione as teclas ESC ou DELETE para iniciar a BIOS do sistema. Se o recurso estiver desligado, basta ativá-lo. Em “System Health”, você verá uma tela parecida com essa:

Reprodução

Confira agora alguns aplicativos que ajudam na tarefa:

2. Everest

O Everest é um sistema de diagnóstico para o seu PC que permite monitorar diversos itens, incluindo a temperatura. O aplicativo tem versão gratuita e pode ser baixado aqui.

Reprodução

3. HWMonitor

O HWMonitor mede a temperatura, voltagem e saúde de uma série de componentes do PC. Ele pode ser baixado de graça aqui.

Reprodução

4. Speed Fan

O Speed Fan funciona do mesmo modo que os outros aplicativos da lista, trazendo informações sobre a saúde do dispositivo. Ele pode ser baixado de graça aqui.

Reprodução

https://goo.gl/gc4b9u

Bancos começam a aceitar celulares em vez de cartões em caixas eletrônicos

A evolução da tecnologia e a mudança nos hábitos dos usuários quase sempre vêm acompanhadas de transformações na forma como lidamos com nossos bancos. E este que é um dos setores mais sensíveis da sociedade pode estar prestes a mudar de novo diante da revolução do smartphone.

Alguns dos principais bancos dos Estados Unidos começaram a testar no começo deste ano uma nova forma de acesso a caixas eletrônicos: pelo smartphone. Hoje, as maneiras mais populares de se consultar saldo ou realizar saques nessas máquinas são usando um cartão ou biometria, o que pode mudar no futuro.

 O JPMorgan Chase, banco com o maior número de caixas eletrônicos dos EUA (mais de 18 mil), passou a aceitar o celular em vez do cartão de crédito em suas máquinas desde janeiro. O programa piloto começou em apenas algumas centenas de caixas em quatro cidades norte-americanas, incluindo Miami e São Francisco.

De acordo com reportagem do The New York Times, outros dois gigantes bancários dos EUA, o Bank of America e o Wells Fargo, pretendem introduzir essa nova opção de acesso até o fim deste ano. Segundo Jonathan Velline, chefe da operação de caixas do Wells Fargo, o objetivo é dar mais liberdade ao cliente.

“Tem a ver com ter uma escolha. Se você perder o seu cartão ou se sair de casa sem sua carteira, há grandes chances de que ainda tenha pelo menos o seu smartphone na mão”, disse, em entrevista ao NYT. Atualmente, os bancos estudam duas formas de fazer o celular substituir o cartão: por NFC ou por aplicativos.

A primeira opção é a sigla para “near-field communications”, ou “comunicação em campo aproximado”. Trata-se de um protocolo de conexão utilizado por dispositivos eletrônicos para trocar dados de maneira segura em um mesmo ambiente e sem fios. A maioria dos smartphones mais caros do mercado vêm com essa tecnologia integrada, como o iPhone 7 e o Galaxy S7.

Outra opção é por aplicativo: o usuário baixa um app no seu smartphone e usa uma senha digital temporária fornecida pelo banco para acessar sua conta no caixa eletrônico. O problema é que essa alternativa já se provou falha em termos de segurança pelo menos uma vez na história recente dos EUA.

Graças a esse sistema de acesso pelo celular, uma cliente do JPMorgan Chase teve US$ 2.900 (equivalente a quase R$ 9.000, em conversão direta) tirados de sua conta. Um criminoso teve acesso a seu login e senha, baixou o app do banco em seu próprio smartphone e assim fez o saque no nome da vítima. Sem levantar qualquer suspeita.

O Chase afirma que está trabalhando para resolver essas questões de segurança e garante que crimes como esses não devem mais acontecer. Entretanto, o banco continua apostando na nova modalidade de acesso sem cartão, acreditando que essa é a tendência tecnológica a ser seguida.

https://goo.gl/21Aj0u

Intel detalha 8ª geração de processadores com mais um golpe à Lei de Moore

 

A Intel publicou detalhes sobre a oitava geração de seus processadores Core, com o codinome Coffee Lake, com previsão de lançamento para a segunda metade de 2017. A parte mais curiosa do anúncio é o fato de que a empresa ainda não está pronta para abandonar o processo de 14 nanômetros.

Até 2014, a Intel adotava uma estratégia chamada “Tick-Tock”. Em um ano, a empresa apresentava chips “tick”, que trazia uma redução da microarquitetura anterior, e, no ano seguinte, o “tock” traz uma nova microarquitetura. A regra traçava um ritmo claro de evolução a cada dois anos, seguindo a Lei de Moore.

No entanto, a dificuldade em reduzir transistores além dos 14nm fez com que a empresa passasse a adotar uma nova estratégia de três etapas, chamada “Process, Architecture, Optimization”. O problema é que a Intel não foi capaz de seguir seu novo modelo estratégico, mantendo os 14 nm pelo quarto ano consecutivo. Antes do Coffee Lake, a empresa já havia apresentado os chips Broadwell (“Process”), Skylake (“Architecture”) e Kaby Lake (“Optimization”). Ou seja: a nova geração deveria trazer um novo processo, mas o que se verifica é uma segunda fase de otimização, transformando o Coffee Lake em uma anomalia.

Mesmo mantendo os 14 nm, a Intel diz que os novos processadores devem oferecer um aumento de 15% em desempenho em relação à geração passada, embora a empresa não informe como vai extrair mais poder computacional do mesmo processo pelo quarto ano consecutivo.

A Intel ainda não detalhou os produtos carregarão a bandeira da oitava geração dos processadores Core, mas espera-se que o i7 padrão deverá ter seis núcleos de processamento. Atualmente, a empresa só oferece mais de seis núcleos nos chips Xeon e os modelos Extreme Edition, que são muito mais caros.

Assim, os processadores Cannon Lake, que trarão o processo de 10 nm, seguem sem uma data de lançamento. Enquanto isso, os primeiros processadores de 10 nm chegarão às mãos dos consumidores neste semestre, graças ao Snapdragon 835 da Qualcomm, que deve estar presente em vários celulares top de linha lançados ao longo do ano.

https://goo.gl/38Ca37

Como remover programas indesejados do seu computador

Ao instalar um novo programa, você simplesmente vai clicando em “avançar” sem ler nada do que aparece na tela? Se você faz isso, é bem provável que o seu computador tenha muitos softwares indesejados, que foram instalados com o seu consentimento, mas sem que você percebesse.

Barras estranhas no navegador, atalhos desconhecidos na sua área de trabalho e até mesmo programas desconhecidos que se iniciam junto com o computador: todos eles podem acabar sendo instalados discretamente enquanto você instala outro aplicativo. Além de encherem o saco, eles também acabam ocupando espaço e deixando o computador mais lento. E removê-los pode ser mais difícil do que você imagina.

Felizmente, isso é possível, e em alguns casos relativamente fácil. Abaixo, listamos alguns passos para garantir que esses programas (como o Ask, o Hao123 e o Babylon) não fiquem gastando espaço, RAM e poder de processamento do seu computador. Confira.

1. Tente desinstalar o programa normalmente

Reprodução

Para isso, abra o menu de configurações do Windows (o ícone de engrenagem no Menu Iniciar) e clique em “Sistema”. Na janela que se abre, do lado esquerdo, selecione “Aplicativos e recursos”, desça a lista até achar o programa que você quer remover e clique em “Desinstalar”. Depois, é só seguir os passos que aparecem na tela.

2. Remova extensões de seu navegador

Alguns desses programas indesejados se instalam como extensões do seu navegador, e é necessário então removê-los por lá.

No Chrome, basta clicar no ícone de Menu (as três bolinhas no canto superior direito da tela), selecionar “Configurações” e, em seguida, clicar em “Extensões” (no canto superior esquerdo). Depois, olhe na lista para encontrar as extensões indesejadas e, para removê-las, clique no ícone de lixeira ao lado delas:

Reprodução

No Firefox, clique no ícone de menu (três linhas horizontais no canto superior direito), selecione a opção “Add-ons” e em seguida clique em “Extensions” no canto superior esquerdo da página. Encontre na lista a extensão que você quer remover e selecione “Remove”:

Reprodução!

3. Restaure seu navegador

Se você não conseguir eliminar o programa pela lista de extensões, uma solução pode ser restaurar o navegador às configurações padrões. Isso eliminará o programa indesejado, mas também apagará seus dados, senhas salvas e histórico de navegação.

Para fazer isso no Chrome, clique no ícone de Menu (as três bolinhas no canto superior direito) e selecione “Configurações”. Desça até o fim da tela e clique em “Mostrar configurações avançadas”. Desça novamente até o fim e clique em “Redefinir configurações”. Será necessário confirmar a escolha.

Reprodução

No Firefox, vá no menu (três linhas horizontais no canto superior direito), selecione “Ajuda” clicando no ícone de “?” e vá em “Troubleshooting Information”. Na página que se abre, selecione “refresh Firefox”.

Reprodução

4. Faça uma varredura contra esse tipo de programa

Alguns dos programas maliciosos que se instalam dessa maneira se chamam “AdWares”, pois ficam enchendo seu computador de propagandas. Eles são tão comuns que já existem programas destinados especialmente a varrer seu computador contra esse tipo de software. Um deles é o AdwCleaner, que pode ser baixado por meio deste link. Após baixá-lo e instalá-lo basta rodar o programa, clicar em “verificar” e, depois da varredura, excluir os itens indesejados.

5. Instale um desinstalador especial

De vez em quando, o detector de programas pode não conseguir desinstalar um software. Nesses casos, pode ser útil baixar um programa separado para realizar a desinstalação. Um deles é o CCleaner, que dentre suas funções conta com um removedor de programas. A versão gratuita dele pode ser baixada por meio deste link. Depois de baixar e instalar o CCleaner, abra o programa, selecione a opção “Ferramentas”, depois “desinstalar programas” e escolha da lista o programa a ser desinstalado.

https://goo.gl/dmBWb1