Skip to main content

Samsung lança conjunto de SSDs mais rápidos do mundo

A Samsung anunciou na última quarta-feira, 21, sua nova linha de unidades de armazenamento de estado sólido (SSDs). De acordo com a fabricante, embora não sejam os mais espaçosos, estes são os SSDs mais rápidos do mundo em tempo de leitura e de registro de dados.

O diferencial do 960 EVO e da 960 Pro é que os dispositivos usam uma nova arquitetura de memória em V-NAND (ou NAND vertical). No tipo de armazenamento flash NAND, as células de memória são acessadas sequencialmente e em blocos, acelerando o processo de leitura das informações.

No V-NAND, os chips são empilhados uns sobre os outros, o que também permite uma capacidade física maior e uma performance mais veloz. Além disso, a Samsung inclui nos modelos um sistema chamado TurboWrite que, de acordo com a fabricante, lê os dados armazenados a 3,200MB/s e os escreve a 1,900MB/s.

O 960 EVO, o novo SSD da Samsung para o consumidor final, será vendido com 250GB, 500GB ou 1TB de espaço. Já o 960 Pro, voltado para empresas, chega com 512GB, 1TB ou 2TB. Nos EUA, será possível comprá-los a partir de outubro custando entre US$ 130 e US$ 330 R$ 414 e R$ 1.052, respectivamente).

https://goo.gl/KOzG6W

McLaren se pronuncia sobre possível venda para a Apple

A McLaren se pronunciou a respeito das notícias que surgiram ontem dando conta de que a montadoraestaria negociando com a Apple por um plano de investimentos ou até aquisição. A resposta, entretanto, levantou ainda mais suspeitas sobre o caso.

Um porta-voz da companhia informou o seguinte: “Podemos confirmar que a McLaren não está em discussão com a Apple em relação a nenhum potencial investimento.”

A questão da compra, como se vê, não foi abordada, e o pronunciamento também nega apenas que haja conversas em andamento, o que abre a possibilidade de que algum acordo já tenha até sido fechado.

A notícia de ontem surgiu através de fontes do Financial Times, mas depois o New York Times entrou na história e confirmou, de forma independente, que Apple e McLaren estavam mesmo negociando um investimento. A Apple ainda não se pronunciou.

https://goo.gl/P1cIzx

Bots estão brigando entre si na internet

Com a liberação dos bots em plataformas como Facebook Messenger, esses robôs se tornaram o assunto do momento dentro do mundo da tecnologia. Mas a verdade é que eles existem há tanto tempo que já começaram a criar dilemas morais.

Pelo menos 49% dos acessos às páginas da web pelo mundo são feitos por bots, sendo que mais de 50% dos cliques em publicidade vêm deles, também. O Twitter estimou, em 2009, que 1/4 do conteúdo postado na rede saía dos robôs — um número que provavelmente subiu nos sete anos seguintes.

Como não existe um manual de boas condutas, ou um padrão a ser seguido pela comunidade de desenvolvedores, os bots correm livres, leves e soltos pela internet, o que possivelmente causará problemas.

Mesmo na Wikipédia, que é um ambiente controlado, os robôs têm protagonizado verdadeiras batalhas entre si porque vivem desfazendo os trabalhos dos colegas. Um time de pesquisadores da Universidade de Oxford decidiu estudar o comportamento das máquinas dentro da enciclopédia e percebeu que algumas disputas podem perdurar por anos.

Em 2014, os bots foram responsáveis por 15% das edições de linguagem na Wikipédia, mas eles também checam digitação, evitam vandalismo, entre outras coisas. Mas as coisas não funcionam de forma muito harmoniosa.

Por exemplo, em um período de 10 anos humanos revertem edições entre si em média apenas três vezes, enquanto que, somente na Wikipédia em inglês, a taxa entre robôs foi de 105 reversões. Na versão em português foram 185. E os números poderiam ser maiores, caso os robôs não fossem obrigados a seguir um limite de quantidade de edições.

Humanos, por exemplo, fazem reversões dentro de períodos que imitam ciclos da vida: dois minutos após o surgimento de uma alteração, 24 horas depois ou um ano depois. Com os robôs o ciclo é sempre mensal.

O problema, segundo especulam os pesquisadores, é que cada um foi escrito seguindo a terminologia, o idioma e as ideologias de quem os desenvolveu, então quando topam com intervenções de outros robôs eles entendem que aquilo se trata de um erro. Agora, se isso tudo ocorre dentro de um organismo regrado como a Wikipédia, imagine a bagunça de intervenções que acontece a todo momento na internet, em geral.

“Um número crescente de decisões, opções, escolhas e serviços dependem agora no funcionamento adequado dos bots”, disse Taha Yasseri, um dos pesquisadores, em entrevista à revista do MIT. “Ainda assim, sabemos muito pouco sobre a vida e a evolução dos nossos criados digitais.”

https://goo.gl/WPqrfX

Nike lançará tênis que se adapta aos pés do usuário em novembro

A Nike anunciou ontem que pretende começar a vender o HyperAdapt 1.0, um modelo de tênis que se ajusta automaticamente aos pés do usuário, no dia 28 de novembro nos Estados Unidos. De maneira semelhante aos tênis de De Volta para o Futuro, quando o usuário coloca os pés nele, eles se apertam em torno dos pés automaticamente.

Cada um dos tênis HyperAdapt possui um sensor, bateria, motor e sistema de cabos que permitem que ele se ajuste aos pés do usuário com base em uma equação algorítmica de pressão, segundo a Wired. Quando ele sente que um pé foi inserido, ele começa a se apertar em torno dele até sentir pontos de atrito. Ele ainda tem dois botões próximos à língua que permitem ajustar a firmeza do encaixe. O vídeo abaixo, também da Wired, mostra mais do calçado:

Segundo a Nike, Foram necessários mais de 28 anos de brainstorming e 11 anos de investimento em pesquisa e desenvolvimento para chegar à atual tecnologia. O designer principal do projeto, Tinker Hatfield, disse que está mais empolgado com esse lançamento “do que para qualquer outro projeto com o qual já estive envolvido”.

Hatfield chama a tecnologia de EARL, ou Electroadaptive Reactive Lacing (ou “cadarços reativos eletroadaptativos”), já que ela se ajusta eletronicamente a cada um dos pés que calça o tênis. O motor responsável por apertar o tênis fica na parte inferior do calçado, protegido por plástico. Um sensor no calcanhar do tênis detecta a pressão quando o usuário o coloca e ajusta o calçado.

Detalhes sobre preço e disponibilidade do novo tênis ainda não forem divulgados. É provável, no entanto, que ele tenha um preço bastant elevado. Será necessário marcar um horário com a Nike para poder experimentar e comprar o novo tênis, o que sugere que ele será voltado apenas para atleta. Por outro lado, é bastante provável também que a nike estenda a tecnologia a outras linhas suas de calçados.

 

https://goo.gl/S3O1M1

 

Google testa recurso que adia downloads para economizar dados no Android

Google está testando uma nova maneira de ajudar os usuários do Android a economizar dados. Um recurso na Play Store permite adiar os downloads até que o dispositivo esteja conectado a uma rede Wi-Fi.

Atualmente, o app permite usar uma conexão sem fio apenas quando o aplicativo é grande, mas não há a opção de postergar o download. Ao que tudo indica, será possível criar uma “fila” de apps para baixar sem consumir os dados móveis.

A novidade, que deve se chamar algo como “Esperar pelo Wi-Fi”, está em fase de testes com um pequeno grupo de usuários, o que significa que não há confirmação se ela será estendida a todos os dispositivos Android ou se será removida antes mesmo de seu lançamento.

 

https://goo.gl/Q7k2BS

Google lança no Brasil aplicativo voltado para viagens

 

O Google anunciou hoje o lançamento mundial do Google Trips, um aplicativo voltado para auxiliar os usuários em todas as etapas do planejamento de viagens. O lançamento do aplicativo confirma informações que já circulavam ao menos desde abril desse ano.

Disponível para iOS e Android, o Google Trips une uma série de recursos de outros aplicativos do Google em um só. Por exemplo, ele é capaz de localizar informações importantes sobre viagens, como os horários de vôos e endereços de hotel, e deixá-las disponíveis offline. Isso facilita o acesso a esses dados quando o usuários estiver sem conexão com a internet – algo comum de se acontecer em viagens internacionais.

Além disso, o aplicativo também facilita a criação de roteiros de viagem, ressaltando no mapa pontos turísticos e sugerindo trajetos entre os locais para o usuário. O app também pode ser usado de maneira semelhante ao Maps, para explorar bares, cafés e restaurantes próximos ao local do usuário. O vídeo abaixo mostra o funcionamento do Trips:

Para as 200 maiores cidades do mundo (o que inclui algumas capitais brasileiras, como São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília), o aplicativo já tem roteiros pré-programados de viagem. Esses roteiros também podem ser ajustados para se adequar melhor ao tempo disponível que o usuário tem ou para se misturar com outros locais que ele queira visitar.

Pontos turísticos e outros locais famosos são marcados pelo aplicativo no mapa, para que seja mais fácil encontrá-los durante a viagem. O app também consegue criar um roteiro para o usuário com base em algum local ou região que ele queira conhecer, buscando por pontos interessantes próximos a esse local.

https://goo.gl/nT0sPS

Internet das Coisas pode se tornar novo alvo de hackers

Um experimento em Las Vegas mostrou que a Internet das Coisas pode estar se tornando o próximo alvo dos hackers. Durante a conferência hacking Defcon, nesta semana, vários hackers tentaram quebrar os protocolos de segurança e tomar o controle de aparelhos que fazem parte desse segmento.

O objetivo dos convidados era revelar as fraquezas dos dispositivos para que elas fossem corrigidas e, dessa forma, salvas de cibercriminosos. Ao todo foram encontradas 47 vulnerabilidades em 23 dispositivos fabricados por 21 empresas diferentes.

Entre os produtos falhos, os mais preocupantes são as fechaduras eletrônicas. Os hackers conseguiram quebrar a segurança das trancas de 9 empresas e destravar as portas sem muito esforço.

Apesar do alto número de vulnerabilidades encontradas, a quantidade é bastante inferior ao número registrado no ano passado. Em 2015, os especialistas em segurança digital encontraram 113 falhas críticas nos aparelhos.

https://goo.gl/oHBGZ9

Microsoft oferece cursos online e grátis para quem quer começar a programar

A Microsoft disponibiliza, por meio do portal Brasil Mais TI, uma série de cursos básicos para quem está interessado em entrar no mundo da programação. A empresa oferece uma série de cursos para principiantes que gostariam de ser introduzidos aos conceitos mais básicos do desenvolvimento de software.

A lista completa de cursos oferecidos pelo Brasil Mais TI está neste link, com várias opções de cursos online e gratuitos que variam de nível entre o básico e o avançado. Destacamos abaixo os cursos da Microsoft voltados para começar a aprender sobre programação e TI de uma forma mais ampla.

Todos os cursos oferecem certificado após a conclusão do curso. Para baixa-lo, basta acessar o curso que você concluiu, entrar na trilha de aprendizagem e abrir a avaliação do curso. Lá clique em “Certificado”.

https://goo.gl/5qmLTK

Robô-cirurgião consegue operar dentro de olho de paciente

Pela primeira vez, médicos usaram um robô para realizar uma operação cirúrgica dentro do olho. Com a tecnologia, foi possível remover uma membrana com um micrômetro (um centésimo de milímetro) de espessura da retina do olho direito de um paciente.

A experiência possibilitou que William Beaver, de 70 anos, removesse uma membrana maliciosa que havia crescido sobre sua retina, distorcendo as imagens que ele via pelo olho direito. No entanto, era necessário remover essa membrana sem danificar a retina, o que exigiu o uso do robô. Uma matéria sobre a operação, gravado pela BBC, pode ser vista abaixo:

 O robô utilizado na operação se chama R2D2: além da referência a Star Wars, o nome também significa “Robotic Retinal Dissection Device”, ou “Dispositivo Robótico de Dissecção Retinal”. O oftalmologista Robert McLaren pode utilizar o robô para controlar uma agulha que, por sua vez, removeu a membrana danosa.

Pequenos tremores da mão do médico são filtrados pelo controle do robô, o que é essencial para o sucesso da operação, já que ela exige precisão microscópica e não poderia ser realizada de outra maneira. Mesmo tremores ínfimos, como os causados pelo próprio batimento cardíaco do médico, poderiam colocar a operação em risco, segundo o Engadget.

Precisão inimaginável

De acordo com a Universidade de Oxford, da qual MacLaren é professor, essa é a primeira vez que uma operação desse tipo é realizada. Isso porque, para executá-la, é necessário que uma agulha entre por um buraco com menos de 1 milímetro de diâmetro no olho do paciente. A agulha ainda precisa entrar e sair por esse mesmo buraco várias vezes durante a operação.

Como o olho do paciente não fica imobilizado durante o processo, é necessário ainda “encontrar” o buraco cada vez que a agulha entra. O R2D2 é programado para isso, e utiliza sete motores computadorizados independentes para controlar a agulha. Esses motores permitam que ele realize movimentos com até um milesimo de milímetro de precisão.

O cirurgião consegue controlar o R2D2 usando uma alavanca semelhante a um joystick e um painel sensível a toque. Movimentos grandes realizados com a alavanca são traduzidos em movimentos pequenos e precisos do braço robótico. O médico ainda consegue monitorar a agulha usando um microscópio especial.

Reprodução

Futuro da cirurgia

Após a comprovação do sucesso da operação, MacLaren opinou que havia tido “uma visão da cirurgia ocular do futuro”. “Com um sistema robótico, nós abrimos todo um novo capítulo de operações oculares que atualmente não podem ser realizadas”, disse. Terapias genéticas e com células-tronco também passam a ser possíveis rgaças a essa tecnologia, já que elas também exigem inserção na retina com alta precisão.

Essa operação foi a primeira de doze cirurgias planejadas para testar a capacidade do R2D2 de ajudar médicos em operações oftalmológicas. Nas primeiras, ele será usado para remover membranas das retinas dos pacientes. Nas seguintes, ele será usado para injetar fluidos debaixo das retinas com uma agulha extremamente fina.

Caso essa segunda fase tenha sucesso, ela possibilitará a execução de terapias genéticas. Por meio delas, será possível curar cegueiras de origem genética, tanto em pacientes mais jovens quanto em pacientes nos quais ela ocorre por deterioração das células.

https://goo.gl/2x6x1A

Facebook e Twitter se unem para combater disseminação de notícias falsas

Facebook e Twitter se uniram a uma iniciativa chamada First Draft Coalition, que procura reduzir o impacto da disseminação de informações falsas pela internet.

O grupo foi formado em junho de 2015 com apoio do Google e conta com membros como New York Times, Washington Post, BuzzFeed News, France-Presse e CNN.

Em e-mail enviado à Reuters, a diretora de gerenciamento da FDC, Jenni Sargent, disse que no final de outubro será lançada uma plataforma de checagem para que os membros consigam verificar a veracidade de histórias questionáveis. O grupo também está criando um código de práticas.

xistem sites que tentam conter o estrago feito por quem vive da disseminação de informações falsas (como é o caso do Boatos.org no Brasil), mas a adição das duas redes sociais é um ganho considerável para a iniciativa, tendo em vista que boa parte dos mexericos se espalha por elas. Só o Facebook movimenta 1,7 bilhão de internautas por mês e o Twitter, 140 milhões por dia.

https://goo.gl/M6h4uM